Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mundo da Mónica

"All is well in my world" Lousie Hay

Mundo da Mónica

"All is well in my world" Lousie Hay

Ter | 11.12.18

Explicar a Perda

Mundo da Mónica

Recentemente, perdemos uma familiar que nos era muito chegada, todos estamos ainda a lidar com a sua perda e com as saudades que sentimos. Enquanto adultos, sabemos o que temos de fazer, o que temos de tratar, quem temos de avisar, claro, que nunca sabemos a que ponto vamos reagir, mas a experiência, coloca-nos num patamar acima das crianças.

Explicar a perda às crianças, principalmente se  forem pequenas, não é fácil. Transmitir uma noticia deste género é de cortar o coração a qualquer pai e mãe.  Não queremos que os nossos filhos sofram.

Mas queremos ser honestos e a mentira e ocultação não tem lugar cá em casa.

Portanto, sentámos as crianças e explicámos o que aconteceu. O mais velho percebeu rapidamente, já tem doze anos, embora não tenha entendido a rapidez de como aconteceu, tinha estado com a pessoa em questão há uma semana atrás.

Os mais  pequenos levaram mais tempo, houve mais perguntas, teve de haver uma maior explicação até que entre as minhas lágrimas e as do pai, e do mano mais velho, perceberam que "a ida para o céu e transformou-se numa estrelinha" significava que nunca mais iam brincar ou ver essa pessoa. 

A família inteira chorou em conjunto abraçados uns aos  outros, incrédulos, confusos, com um nó na garganta que não sabíamos como ia sair.

Perder alguém é algo muito difícil, embora faça parte do ciclo da vida, é muito difícil, é  ainda mais difícil conseguir seguir em frente e perceber que a vida continua.

Todos fazemos o Luto de forma diferente, sejamos adultos ou crianças, e noto isso nos meus três filhos.

O Rafael, o mais velho, chorou muito, mas prefere não falar sobre o assunto, não quer recordar que isso aconteceu.

O Santiago, o do meio, sente necessidade de ir para a janela e falar com a estrelinha, depois do  quanto chorou, diz que gosta de continuar a falar com ela.

O Mateus, o mais pequenino, que nós pensávamos que não ia entender, foi o que menos chorou, tal como esperávamos, mas chegou à conclusão que estava contente, demorei algum tempo até perceber o que queria ele dizer com "contente" em ter perdido alguém, com alguma conversa percebi que todas as conversas que ele tinha tido com essa pessoa, ele percebeu que ela estava a sofrer e o facto de se ter tornado estrelinha era bom, já não tinha doí-doí, então estava contente.

Há quem acredite que estas coisas não se falam com crianças tão pequenas, eu sou da opinião que tudo se explica às crianças, apenas temos de explicar com calma e num vocabulário que elas entendam. Esconder/mentir não é opção para nós. A verdade prevalece em todas as situações. Esse é um valor que tentamos ensinar os nossos filhos todos os dias, mesmo quando os acontecimentos são os piores. 

Numa altura festiva como esta, este é um post triste, tenho noção disso, mas estas coisas não acontecem quando queremos e apesar de ter imensos posts de conteúdos mais alegres, senti que tinha de escrever sobre isto. Pois, infelizmente, faz parte da vida e a dor está latente cá em casa, apesar de estarmos a tentar seguir em frente, este ano, montar a árvore de Natal teve um sentimento diferente do habitual.